Vós

menu
Histórias

[Guia] - 4 escolinhas pra quem quer aprender a pegar aquela onda

Por Luiza Carolina Figueiredo, Igor de Melo
10.mar
2017

O Brasil é um país banhado pelo oceano. Isso todo mundo sabe; basta só olhar qualquer mapa. Entretanto, de todo os mais de 8 milhões de km² de extensão do território, apenas 7.367 km são de litoral. Isso acaba fazendo as cidades litorâneas muito visadas por parte da população brasileira, pois, para quem não tem praia, ver o mar é um sonho.

E quase 8% dessa costa está no Ceará. Então, não é à toa que tem muito cearense que é doido por praia e adora ficar ali, tostando no sol, brincando na areia, tomando banho de mar. E tem uns que gostam mesmo é de surfar.

O surf e bodyboard têm uma influência muito forte aqui no estado. Com tanto mar, o que não falta é gente pra pegar onda e se destacar, como Tita Tavares, Fábio Silva, Silvana Lima, Pablo Paulino, Isabela Sousa e Roberto Bruno, nossos surfistas que ganharam o Brasil e o mundo, e inspiram outros cearenses a tentarem o mesmo caminho, ou pelo menos praticarem a mesma atividade.

E pra quem quer aprender a surfar, o que não falta é gente cheia de vontade de ensinar. Por isso, Vós fez uma listinha com quatro escolinhas de surf pra te ajudar a tomar coragem e cair no mar.

Escola de Surf Duda Carneiro

Se cearense se destaca em surf, o Tintanzinho é um verdadeiro celeiro de novos talentos. E quem melhor para treiná-los do que um próprio talento? Então, quem dá aula é ninguém menos do que Duda Carneiro. “E a escolinha tem sete competidores de alto rendimento; sempre dão final em competições”, fala com orgulho.

A escolinha funciona oficialmente há pouco mais de um ano, período em que Duda tenta “passar um pouco das minhas experiências”. Além da escola de surf, ele faz parte também de um projeto social que atende 30 meninos da comunidade, “porque tem sempre um moleque desamparado na favela querendo surfar. E é nosso papel fazer alguma coisa, colocar os meninos dentro do esporte e longe do que não presta”.

Até agora ele tem cerca de 90 alunos que vão para o Tintanzinho, de todas as idades. Já teve de 4 anos e até uma senhora de 60 que, segundo Duda, começou a fazer aula para realizar o sonho de surfar ao lado do filho e hoje compete com ele pelas melhores ondas.

Outro aluno é o servidor público Eduardo Bruno Cavalcante. Ele aprende com o Duda há quatro anos, antes mesmo de a escolinha ser aberta. “Acho um esporte muito bom, que faz a gente ter um maior contato com a natureza, traz reflexão e aprendizagem. O surf dá um up na vida”.

Serviço

Escola de Surf Duda Carneiro
Av. Leite Barbosa, 1012 – Cais do Porto
Telefone: (85) 985.835.714
Fabebook: /dudacarneirosurf
Instagram: @dcescoladesurf

Junco Escola de Surf

Há quase dois anos e meio na Praia do Futuro, a Junco surgiu de um projeto de dois amigos – Artur Silva e Filipe Holanda – de fazer uma escola de surf avançado. Ou seja, a ideia era ensinar técnicas de manobras para surfistas já experientes. Mas logo em seguida veio o questionamento: por que não fazer uma escolinha também para iniciantes? Assim uma turma iria alimentar a outra e, de qualquer forma, teria mais gente surfando.

Para entrar na escolinha, basta ter mais de cinco anos de idade ter disposição e saber nadar. “A gente sempre indica para os alunos também fazerem aula de natação e, uma das nossas primeiras lições é ensinar a boiar, pois é assim que eles vão conseguir sair do mar”.

Outro cuidado que os professores têm é o de sempre deixar os alunos estimulados, fazendo com que eles aprendam a surfar da maneira correta. E, embora demore mais ou menos uns cinco meses de treinamento regular para aprender a surfar bem, Artur garante: “dá pra ficar em pé na prancha no primeiro dia de aula”.

A professora de educação física Renatta Cristina de Carvalho é uma das alunas da Junco e frequenta a escolinha há mais de um ano. Ela lembra que sempre quis aprender a surfar, mas tinha muito medo, até o dia em que uma amiga chamou pra fazer uma aula e daí não parou mais. Agora, é no surf que ela encontra equilíbrio e se desvincula dos problemas. “Foi uma mudança radical na minha vida. Aqui fiz vários amigos e criei um elo muito forte com os professores, de amizade, respeito e sintonia”.

Serviço

Junco Escola de Surf
Endereço: Av. Clóvis Arrais Maia, 4567 – Praia do Futuro
Telefone: (85) 999.537.537
Aulas: de terça a sábado
Preço: pacotes a partir de R$ 190 (4 aulas)
Facebook: /juncoescoladesurf
Instagram: @juncoescoladesurf

PF Surf School

Também na Praia do Futuro, tem a PF Surf School encabeçada pelo Luís Gustavo Oliveira. A escolinha começou por volta de 2009, mas ele dá aula de surf desde 1999, ainda quando era atleta profissional de bodyboard e amadurecia seu lado professor.

Hoje a escolinha atende aos três níveis de surf – iniciante, intermediário e profissional -, além de também englobar o bodyboard, que não podia ficar de fora, é claro.

Gustavo diz que “o mais importante para aprender a surfar é ter interesse para poder vivenciar o esporte. Porque, depois de fazer a primeira aula, ninguém quer mais deixar”.

Prova disso é Tárcio Ferreira. Aluno da escolinha a pouco mais de um ano, o consultor financeiro diz que o surf significou mudança e renovação na vida dele. “Eu trabalhava em São Paulo, com recuperação de empresas, que é algo muito difícil. Quando voltei a Fortaleza, decidi fazer algo que gostava e fui atrás de uma boa referência de escola e cheguei aqui”.

Serviço

PF Surf School
Endereço: Av. Zezé Diogo, 3070, Praia do Futuro
Telefone: (85) 3262.0992
Aulas: de terça a domingo
Preço: pacotes a partir de 170 (4 aulas)
Facebook: /pfsurfschool
Instagram: @pfsurfschool

Israel Rodrigues

Israel Rodrigues dá aula de surf já há 15 anos. Ele até abriu uma escolinha de surf, a Çum Huê (que significa lua e sol num dialeto africano), mas esta acabou sendo passada a dois amigos – ou melhor, dois “broder” -, que estavam precisando de dinheiro para pagar a faculdade. Então, Israel ficou na escolinha como professor de sexta a domingo, e dá aulas de surf particulares de segunda a quinta, trabalhando o surf com evolução.

Para o professor, para aprender a surfar bastam três coisas: “paciência, foco e perseverança. Porque só os fortes que ficam no surf. Mas, apesar da dificuldade, ele é o tipo de esporte que deixa o corpo e a mente sãos”.

Além da escolinha e das aulas particulares, Israel também faz parte de um projeto social que envolve o surf, ao lado de Raphaela Bahia, o Projeto Dragões do Mar, no qual atende, oficialmente, 25 meninos em frente ao Vila Galé. “Oficialmente porque, como nordestino é agregador, um traz o irmão, o amigo, o primo, e no final juntam umas 50 crianças”.

Serviço

Israel Rodrigues
Telefone: (85) 996.670.546 / 987.377.396
Aula: R$ 60 ou pacotes a partir de 8 aulas
Facebook: /israel.rodrigues.982
Instagram: @neneswel

Colaboradores

Luiza Carolina Figueiredo

Luiza Carolina Figueiredo

Ver Perfil

Apesar de jornalista, sonha com ficção e, por isso, fica animada em ouvir os causos dos outros - quem sabe não tira inspiração para um futuro romance? Acredita que, se escrever de tudo um pouco, um dia vai conseguir a história que realmente quer. Leitora compulsiva, está sempre com um livro ou HQ nas mãos (ou na bolsa). É meio tímida, mas tem um bichinho tagarela dentro dela que, quando começa a falar, quase não para. E se a conversa for geek, então...

Igor de Melo

Igor de Melo

Ver Perfil

É fotógrafo profissional desde 2008. Já passou pela fotografia de esportes, cobertura social, fotojornalismo, publicidade, documental e autoral. Continua em todas. É apaixonado por esportes de ação, tatuagens, retratos e pessoas. Crê que vai conseguir contar as histórias que quer, surfar na Indonésia e viajar com a esposa.

Comentários

Quer conhecer mais histórias como esta?


Cadastre seu email abaixo para receber matérias, novidades, eventos, e outras informações na sua caixa de email.

fechar