Vós

menu
Colunas

Conheça Guabiras, um cartunista arretado!

Por Daniel Brandão
17.fev
2017

Fevereiro chegou e com ele, o Carnaval. Frases feitas como “Brasil é o país do Carnaval” ou “o ano só começa depois do Carnaval” ajudaram a construir a ideia de que a brasilidade está intrinsecamente ligada à festa momina. A disseminação midiática desta festa espalhou a impressão de que todo brasileiro tem samba no pé. Afinal, “quem não gosta de samba, bom sujeito não é”. E isso não é verdade.

A impressão que dá, para quem vê o Brasil de fora, é que nosso país é feito apenas de samba, carnaval, caipirinha, feijoada, capoeira, futebol e praia. Gosto muito de tudo isso, mas sei que nossa cultura é muito mais rica e diversificada do que esse reducionismo de propaganda turística. A cultura brasileira também é constituída de histórias em quadrinhos e cartuns, por exemplo. O quadrinho e o cartum nacionais são populares e ricos de grandes artistas.

Dentro deste nicho cultural também existem os estereótipos. Para muitos, os quadrinhos nacionais se resumem à Maurício de Sousa Produções. Outros só lembram de cartunistas do eixo Rio-São Paulo, quando na verdade nosso país tem grandes artistas nas suas cinco regiões. Justamente por isso, o feito do cearense Guabiras deve ser comemorado e noticiado. Ele foi agraciado com o prêmio Angelo Agostini* de melhor cartunista do Brasil em 2016.

Guabiras – como Carlos Henrique Santos assina – é cartunista do jornal O Povo há 19 anos e seu trabalho retrata muito bem a cultura da nossa região. Criador prolífico e irrequieto, já publicou mais de 5 mil tiras em diversos veículos sobre praticamente tudo, principalmente suas experiências de vida, sua visão do universo pop e sua relação com nossa culinária mais peculiar. O trabalho dele já levou o humor arretado cearense para todo o Brasil e até para Nova York, quando publicou em um jornal de lá. Humorista titular da tradicional revista Mad, Guabiras é uma panela de pressão de idéias e sua produção não cabe nos veículos oficiais. Por isso, ele não larga a guerrilha de publicar seus próprios fanzines e vendê-los nas feiras culturais da cidade.

Portanto, se por acaso você não vai cair na avenida ou correr atrás de algum trio elétrico neste mês, aproveite o feriado para pesquisar e conhecer mais sobre o trabalho do Guabiras. Afinal de contas, nem só de samba, suor e cerveja é feita a vida, mas também de toicim, panelada e humor ácido e inteligente.

* Angelo Agostini (1843-1910) foi um ilustrador, caricaturista, desenhista e pintor italiano, o mais importante artista gráfico do Brasil na segunda metade do século XIX. Foi um dos criadores das histórias em quadrinhos no Brasil, foi editor e ativista político.

Serviço

Estúdio Daniel Brandão
(85) 3264-0051
estudiodanielbrandao.com
Facebook: /estudiodanielbrandao
Twitter: danielbrandaoHQ
Instagram: @danielsbrandao

Colaboradores

Daniel Brandão

Daniel Brandão

Ver Perfil

Trabalha como quadrinista, ilustrador, arte-educador e empresário desde 1996. Já ganhou três prêmios HQ Mix pela publicação Manicomics e trabalhou com diversas editoras, revistas, personagens e empresas nacionais e internacionais, tais como DC Comics, Marvel, Dark Horse, Abril e Maurício de Sousa Produções. É criador dos personagens Liz, Sebastião e Cariawara, e atualmente possui um estúdio próprio em Fortaleza, o Estúdio Daniel Brandão, onde oferece cursos de desenho, quadrinhos e mangá. Em 2016, ganhou o prêmio Al Rio como destaque local e foi coordenador de conteúdo do curso de quadrinhos do projeto HQ Ceará e organizador da Antologia HQ pela Fundação Demócrito Rocha.

Comentários

Quer conhecer mais histórias como esta?


Cadastre seu email abaixo para receber matérias, novidades, eventos, e outras informações na sua caixa de email.

fechar