Vós

menu
Histórias

[Patrimônio Histórico] - Como era a Fortaleza de 80 anos atrás?

Por Leila Nobre

Acredita em Vós

18.jan
2016

O CREA-CE, parceiro de Vós, completou 80 anos em 17 de janeiro. Para comemorar a data “à la Leila Nobre”, nossa colaboradora viciada em dados históricos fez um dossiê completo do ano de 1936, quando surgiu a entidade. Viaje por esse registro!

 

- A partir da década de 30, ainda com ares de cidade provinciana, Fortaleza tem um crescimento demográfico elevado que se reflete no aumento da sua área urbana.

- Em 1936, a população de nossa Capital era de 146.852 habitantes, de acordo com estimativa da época. Aquele ano é marcante para a cidade que passa por diversas transformações e assiste a acontecimentos importantes.

- É a primeira vez que um prefeito é nomeado pelo voto popular, inclusive, com voto feminino. O eleito foi Raimundo de Alencar Araripe.

- É fundado o Maracatu Ás de Ouro, sob a direção de Raimundo Feitosa. No desfile daquele ano, o bloco foi premiado Campeão do Carnaval.

- O bloco Prova de Fogo também desfila pela primeira vez, inaugurando o carnaval popular de Fortaleza.

- No futebol, o campeonato Cearense de 1936 realizou a sua 22ª edição do torneio. O Sport Club Maguary sagrou-se campeão, conquistando seu segundo título. Fortaleza e Ceará ficaram com o 2º e 3º lugar respectivamente.

– A Câmara Municipal de Fortaleza aprovou reforma dos serviços municipais, criou as subprefeituras de Messejana e Parangaba e duas diretorias – de viação e obras públicas e de finanças. Criou o “Serviço de Assistência Pública”, atual Instituto Doutor José Frota. Iniciou a construção do Estádio Presidente Vargas e implantou o Serviço Telefônico Automático de Fortaleza. Criou um matadouro modelo, um aviário modelo e um serviço de fomento agropecuário para o cultivo de hortaliças, frutas e flores. Reformou completamente o forno crematório de lixo da cidade. Executou ainda prolongamento e calçamento de várias ruas e avenidas; difundiu iluminação pública por subúrbios; construiu pontes e bueiros.

- O português Manuel Dias Branco inaugurou em Fortaleza a “Padaria Imperial”. Dando o pontapé inicial a uma das maiores empresas de alimentos do Brasil e do Mundo, a M. Dias Branco.

- Em meados dessa década, o órgão regulador do trânsito do estado passa por rápidas transformações. O governo estadual instituiu o Serviço de Trânsito abrangendo uma delegacia e uma inspetoria, a Inspetoria de Trânsito.

- Ano importante também para José Setúbal Pessoa, empresário no ramo de transportes. Após dois anos trabalhando sozinho, ele se junta a outros empresários e passa a rodar com o nome de Empresa Iracema, ligando o Centro a bela Praia de Iracema.

- No Centro da Cidade, surge a Rainha da Moda (de Américo Lopes & Companhia), a Casa Leblon (da empresa C. Sousa, de Carloto Lourenço de Sousa), a Casa Americana, de artigos finos para homens (de L. Loureiro & Companhia) e o Auto Elétrico, de Carlos Garcia Juaçaba.

- No Arraial Moura Brasil, é inaugurada, às 19h30min, a Praça Santa Teresinha, com a presença do governador Álvaro Weyne.

- É reconhecido e registrado o Sindicato dos Operários e Empregados da Ceará Light.

- É assentada a pedra fundamental da Casa do Estudante do Ceará, na Rua Nogueira Acioli, esquina com Rua Pereira Filgueiras. Iniciativa do Centro Estudantil Cearense - CEC.

- O Edifício Parente é inaugurado na esquina da Rua Barão do rio Branco com a Rua Guilherme Rocha, prédio projetado e construído pelo arquiteto Sylvio Jaguaribe Ekman, no estilo Art-Déco, conforme informa o arquiteto Liberal de Castro.

- Na literatura, é lançado o livro Ceará Moleque, de autoria do jornalista Renato Soldon. A obra é colocada à venda, em todas as livrarias da cidade.

- O jornal O Estado entra em circulação.

- O belíssimo Teatro José de Alencar recebe a cantora de rádio Linda Batista, que aproveitou a ocasião para também se apresentar na Ceará Rádio Clube.

- Na então Praça de Pelotas (atual Praça Clóvis Bevilaqua), é inaugurada a herma de Juvenal Galeno, obra do escultor italiano radicado em Fortaleza, Agostinho Balmes Odísio.

- É inaugurada a Casa de Juvenal Galeno na Rua General Sampaio, onde viveu e morreu o poeta.

- O bairro do Alagadiço passa a denominar-se São Gerardo e a Rua do Seminário muda o nome para Avenida Monsenhor Tabosa, homenagem ao Monsenhor Antônio Tabosa Braga.

- É justamente nesse ano de grandes mudanças e conquistas para Fortaleza que é criado o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura, que depois passou a chamar-se Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia - CREA.

- Dois anos antes, em 1934, no dia 27 de fevereiro, houve a reunião para a fundação do Clube de Engenharia do Ceará (CEC). Marco importante de sua trajetória foi o dia 17 de janeiro de 1936, quando seu trabalho de articulação e discussão culminou com a criação e a respectiva instalação, na sede do Clube de Engenharia do Ceará, do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Ceará da 9ª Região, com todos os conselheiros e seu primeiro presidente, Antônio Urbano Almeida, oriundos do CEC.

– Em 03 de julho de 2003, o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, através do seu presidente, Otacílio Borges, adquire o San Pedro Hotel. O prédio estava abandonado, com os elevadores parados, e as instalações elétrica e hidráulica precisando de reparos, assim como quartos e corredores. Com a aquisição, o San Pedro Hotel passou por uma grande reforma para abrigar a sede do Conselho, ganhou um espaço cultural e uma central de atendimento. Hoje, a entidade oferece uma completa assessoria em termos de elaboração e encaminhamento de projetos de edificações para aprovação e licença junto à Prefeitura. Um dos objetivos do CREA, que esse ano comemora oito décadas de muitos desafios e conquistas, é colaborar com o Programa de Revitalização do Centro.

Fotos da matéria: Fortaleza Nobre, arquivo Nirez, arquivo Assis Lima, Museu da Pessoa Comum/ Rita Marques.

Colaboradores

Leila Nobre

Leila Nobre

Ver Perfil

Leila Nobre é pesquisadora Memorialista. Idealizou e mantêm o site Fortaleza Nobre, onde procura resgatar a Fortaleza antiga, em suas ruas, praças, praias, monumentos. É casada e mãe de três meninas. Ama ler e escrever.

Comentários

Quer conhecer mais histórias como esta?


Cadastre seu email abaixo para receber matérias, novidades, eventos, e outras informações na sua caixa de email.

fechar