Vós

menu
Colunas

Registros desenhados de uma viagem a Jeri

Por Daniel Brandão
24.jul
2017

Como quadrinista, não resisto a observar os lugares que viajo e as pessoas que cruzo, sempre em busca de novas histórias. Muitas vezes prefiro desenhar a fotografar. E quando fotografo, na maior parte das vezes, o faço com a intenção de desenhar depois. Busco o que não é comum e sempre liberto minha imaginação a partir de várias questões.

Nestas férias de julho, minha família escolheu passar uns dias em Jericoacoara, onde até o mar para e medita.

Para os turistas, aquelas águas cristalinas servem para lavar a alma. Mas elas também representam a esperança de famílias que torcem para que a rede retirada ao nascer do sol lhes traga o alimento daquele dia. Cruzar com essas pessoas nas caminhadas matutinas me fez olhar para aquele mar com maior devoção.

Tive que registrar os altos coqueiros do vilarejo não só por conta de sua beleza, mas também por ter flagrado a coragem de um local que escalou até o topo de um dos mais compridos para retirar cocos com golpes de facão sem proteção alguma. Será que o que ele vai ganhar com esses cocos vale o risco de vida?

Nesse paraíso de Babel tem gente do mundo todo. Aqueles que são turistas estão ali por motivos óbvios, mas me intriga pensar o que leva um casal do norte da Itália, por exemplo, a largar tudo para montar uma pousada em Jeri. Quantas histórias estão escondidas nesta trajetória?

Tentei registrar as sutilezas desses momentos com pincel e nanquim. Mesmo sabendo que não seria possível…

O mar de Jericoacoara é tão mágico que é nele que o sol escolhe se pôr. E no fim da tarde, em um ritual quase religioso, toda a população do local peregrina até a duna principal para reverenciar este momento. E no instante em que o sol se esconde atrás da linha do horizonte, brasileiros, japoneses, americanos, alemães e italianos falam a língua universal do aplauso. Um momento catártico e sublime. Quando casais se beijam, grupos cantam, amigos se abraçam e todos sentem algo especial.

Serviço

Estúdio Daniel Brandão
Telefone: (85) 3264.0051
Página: estudiodanielbrandao.com
Facebook: /estudiodanielbrandao
Twitter: danielbrandaoHQ
Instagram: @danielsbrandao

Colaboradores

Daniel Brandão

Daniel Brandão

Ver Perfil

Trabalha como quadrinista, ilustrador, arte-educador e empresário desde 1996. Já ganhou três prêmios HQ Mix pela publicação Manicomics e trabalhou com diversas editoras, revistas, personagens e empresas nacionais e internacionais, tais como DC Comics, Marvel, Dark Horse, Abril e Maurício de Sousa Produções. É criador dos personagens Liz, Sebastião e Cariawara, e atualmente possui um estúdio próprio em Fortaleza, o Estúdio Daniel Brandão, onde oferece cursos de desenho, quadrinhos e mangá. Em 2016, ganhou o prêmio Al Rio como destaque local e foi coordenador de conteúdo do curso de quadrinhos do projeto HQ Ceará e organizador da Antologia HQ pela Fundação Demócrito Rocha.

Comentários

Quer conhecer mais histórias como esta?


Cadastre seu email abaixo para receber matérias, novidades, eventos, e outras informações na sua caixa de email.

fechar