Vós

menu
Histórias

Sertão Moderno: transformar o que vem da terra em design

Por Denise Mustafa
17.ago
2016

O sertão pode até não virar mar. Mas que está ficando moderno, isso está.

A Casa Cor 3xDesign aconteceu de 8 a 14 de agosto, no Jockei Club de São Paulo, e teve como tema Brasil e Itália, com um pavilhão inteiro sobre o Cariri.O artesanato pode ser peça de design sim. Foi o que mostrou o Cariri na última mostra Casa Cor 3xDesign, que aconteceu em São Paulo.

Mestre Espedito Seleiro, membros da Associação dos Artesãos de Juazeiro e do Centro de Cultura Popular Mestre Noza, irmãs Maria Cândido, José Lourenço, entre outros nomes do Cariri, estiveram presentes pra mostrar que o sertão tem muita história pra contar. E, principalmente, para mostrar.

Em um pavilhão só dele, pintado de rosa, e com letreiro em neon, a terra de Padre Cícero, Irmãos Aniceto e Xico Sá, esses dois últimos que estiveram presentes durante a mostra, recebeu um lugar entre a arte contemporânea. Uma área especial, colorida e, principalmente, rica de referências e elementos especiais que fazem parte da história do Ceará.

Teve um pouco de tudo que faz parte do Cariri: a madeira, com as esculturas dos artesãos da Associação Mestre Noza, o barro, com os Temas das irmãs Maria Cândido, que retratam cenas religiosas e do cotidiano, além das máscaras, uma herança indígena do Cariri, não podendo faltar o couro do Mestre Espedito Seleiro, retratando o elemento do vaqueiro, tão presente na região, e o papel, através da xilogravura.

Elementos mais contemporâneos, como o ferro, também foram retratados nas obras modernas do artista plástico Sérvulo Esmeraldo.

Mas a mostra não abrigou apenas a arte óbvia, mas também outros elementos que, pelo povo que lá vive, nem devem ser chamados como tal, apesar de serem, sim, um traço artístico, como o canto dos penitentes e os ex-votos, tão típicos do Cariri quanto o cheiro do sertão.

“A ideia foi homenagear tudo que se faz no Cariri, trazer o que tem lá, mas com o viés do design. Usar de uma forma elegante, dialogar com o espaço”, me contou Ana Virgínia Furlani, arquiteta, curadora do Pavilhão Cariri, e responsável por reunir todos os elementos e transformar o que vem da terra em design.

Colaboradores

Denise Mustafa

Denise Mustafa

Ver Perfil

É fotógrafa e jornalista. Com um mapa tatuado no corpo, vê o mundo através das imagens, sempre com uma trilha sonora nos ouvidos e na cabeça. E gosta mesmo é de estar com um pé em algum aeroporto por aí. Escreve a 3x4.

Comentários

Quer conhecer mais histórias como esta?


Cadastre seu email abaixo para receber matérias, novidades, eventos, e outras informações na sua caixa de email.

fechar