Vós

menu
Colunas

[Tem que conhecer] - Um espaço na terra para Matheus Nogueira

Com Matheus Nogueira Por Felipe Gomes, Igor de Melo
27.jun
2017

O produtor musical cearense que, com seu Psy Trance, conquistou seu espaço nos principais festivais de música eletrônica da Europa

Quando a banda estadunidense Nirvana lançou o álbum Nervermind, certamente, não imaginava que o trabalho influenciaria tantas gerações de artistas ao longo do tempo. A mensagem e a sonoridade do disco resistiram ao tempo e atravessaram enormes distâncias como, por exemplo, os mais de nove mil quilômetros que separam Fortaleza e Seatle, cidade norte americana em que a banda foi originada.

Matheus Nogueira tinha apenas 10 anos quando ganhou o disco de presente. O grunge de Kurt Cobain, Krist Novoselic e Dave Grohl foi o ponto inicial para que, o ainda garoto, se interessasse pela música. Desde então, aulas de violão clássico, duas bandas de rock – sendo uma delas com uma pegada mais psicodélica – direcionaram seu gosto musical para sonoridades mais complexas. A estrada que se constituía até ali encontrou, na possibilidade do eletrônico, mais especificamente no Psy Trance, o condutor perfeito.

“Trabalhar com banda é legal, mas são quatro pessoas pra dividir ideia. Quando eu vi a possibilidade de me tornar uma banda de um homem só, gostei muito e foi basicamente aí que deu o start pra eu começar a fazer minhas coisas”.

A união entre Matheus e o amigo Lucas Donadel fez nascer um projeto que se alimenta dos sons da natureza e da vida. Um trabalho que, de início se pretendia um terremoto – Earthquake foi pensado como um nome -, mas que acabou encontrando na possibilidade de um espaço seu substantivo definitivo.

E durante os últimos anos foram muitos espaços e portas que se abriram para o produtor musical cearense e para o EarthSpace. Ozora Festival (Hungria), Antaris Festival (Alemanha) e Poison Festival (México) são apenas alguns dos festivais internacionais em que Matheus tocou.

Entre a atual fase e o início, o produtor lembra do momento decisivo da carreira. Após a maioridade, o sonho na música esbarrou na realidade da vida adulta. Uma loja de telefonia móvel, uma fábrica de medidores e um escritório foram alguns dos trabalhos que Matheus teve antes de encarar a música de frente.

O Universo Paralelo, na Bahia, foi o divisor de águas. O EarthSpace era cada vez mais consistente e o contato com o mercado e com os grandes da cena eletrônica, por meio do festival, fez com que Matheus estipulasse uma meta para si próprio.“Eu disse pra minha mãe que ia tirar aquele ano – 2012 – só pra tocar, caso a coisa não andasse, ia parar, não de produzir, mas não ia ser minha prioridade, mas ia fazer aquilo que um emprego formal pede”.

Para além de um simples DJ, Matheus Nogueira é um produtor – como faz questão de salientar – que tem um trabalho autoral, consistente e que ganha o mundo com o recém lançado álbum do projeto EarthSpace pela Nano Records, gravadora sul africana da qual faz parte.

O Psy Trance de Matheus e do EarthSpace ganharam o Brasil e o mundo. E seja lendo um livro – a leitura é o lugar de onde o músico tem boa parte das ideias – ou mixando os sons da terra, ele vai continuar criando inventivas sonoridades, para, quem sabe, ganhar você.

E para o Matheus você tem que conhecer os seguintes projetos de música eletrônica:

1. Burn in noise
2. Labirinto
3. Mental Broadcast
4. Shekinah
5. Ajja (Suíça)
6. Tristan (Inglaterra)
7. Hallucinogen (Inglaterra)

Colaboradores

Felipe Gomes

Felipe Gomes

Ver Perfil

Soube desde de cedo que iria ser jornalista. Ainda é quase. Com as histórias de uma Fortaleza de outros tempos, contadas pela bisavó, aprendeu a ouvir. Entrou na faculdade para falar de coisas. Vai sair querendo falar de pessoas. Valoriza o olho no olho, admira o cinema francês e adora música.

Igor de Melo

Igor de Melo

Ver Perfil

É fotógrafo profissional desde 2008. Já passou pela fotografia de esportes, cobertura social, fotojornalismo, publicidade, documental e autoral. Continua em todas. É apaixonado por esportes de ação, tatuagens, retratos e pessoas. Crê que vai conseguir contar as histórias que quer, surfar na Indonésia e viajar com a esposa.

Comentários

Quer conhecer mais histórias como esta?


Cadastre seu email abaixo para receber matérias, novidades, eventos, e outras informações na sua caixa de email.

fechar