Vós

menu
Histórias

Um lugar feito de memórias e histórias

Por Felipe Gomes, Leilane Freitas, Igor de Melo

Acredita em Vós

05.jan
2018

Existem alguns sentimentos universais e inerentes ao ser humano. O saudosismo é, certamente, um deles. Não muito raro, alguém do seu ciclo de convivência — ou até mesmo você — deve se pegar pensando: “Ô tempo bom que não volta mais”. E isso não significa que o presente seja ruim. Quer dizer apenas que somos saudosos de momentos que ajudaram a nos tornar quem somos. Nessas verdadeiras viagens rumo ao passado, os melhores condutores são os sons, sabores, objetos, aromas e lugares. Lugares que, por sinal, também têm memórias, e é sobre isso que falamos aqui. A história de um lugar contada pelas lembranças de quem viveu momentos marcantes nele.

Há 35 anos era inaugurado o Shopping Iguatemi Fortaleza. Construído sobre uma área que antes abrigava uma salina, o empreendimento grandioso e incomum para a cidade à época, logo chamou a atenção e passou a reunir jovens, crianças e famílias inteiras em torno de uma programação diversa. A construção acelerou também o processo de urbanização do entorno da avenida Washington Soares, que até aquele momento contava com baixíssima densidade demográfica.

Em mais de três décadas de funcionamento, o Shopping continua a inovar e se reinventar, tendo como norte a relação de cumplicidade com o grande protagonista dessa história, o fortalezense. Em cada pedacinho dos 92 mil metros quadrados habitam lembranças e memórias em mais de 35 anos de história. Vós conta agora quatro delas, da década de 80 até os dias atuais o Iguatemi ajuda a construir pequenas eternidades.

As lembranças

Ainda criança, a publicitária Ana Elisa Sidrim lembra que ia com os pais ao shopping, segundo ela o primeiro com entretenimento para as crianças. Os brinquedos e os eventos eram a principal atração naquela época. Havia, além disso, o cinema, que ainda ficava no primeiro piso — onde assistiu a todos os filmes lançados pelos Trapalhões e pela apresentadora Xuxa Meneghel a cada período de férias.

Na adolescência, eram as amigas de escola que acompanhavam Ana Elisa.

“Como estudava aqui pertinho, vinha com as meninas. E como naquela época não era muito comum menina sair sozinha, era a diversão que tínhamos.” Nessa época ainda não existia celular; quando não iam do colégio, a entrada da antiga loja de departamentos Mesbla era o ponto de encontro das amigas, lembra a publicitária.

Além dos brinquedos e do cinema, Ana Elisa viveu momentos de grande importância na loja Tok Discos. “Eu me lembro de comprar o disco Vou de táxi, da Angélica, e tava todo mundo enlouquecido no dia do lançamento. Uma lotação.” Lá, a publicitária também fez outras compras importantes: “Meu primeiro celular, ainda no meu estágio, e meu primeiro notebook também comprei aqui”, afirma.

Hoje, ela divide os momentos com o filho de 9 anos. É quase nostálgico ver a história se repetir. “Hoje, trago ele sempre, brinco, e como peguei as diversas fases e todas as expansões, é bem nostálgico, porque te transporta, né?”

A turma

Na década de 1990, o shopping já passava pelas primeiras obras de expansão. Também nessa época, Bruno Teixeira, hoje com 33 anos, e Pedro Murinelli, 30, chegavam à adolescência. Com o grupo composto por cerca de oito amigos, viveram a fase de transição entre a infância e a vida adulta. Iam ao shopping em uma Kombi com toda a turma. “Tinha a hora de ir buscar e vir deixar, mas entre esses tempos a gente ficava meio que só no shopping, e até então sempre saímos só com os nossos pais. Era uma experiência bem diferente.”

Era neste primeiro sopro de liberdade que os meninos aproveitavam para paquerar. “Quando inauguraram aquela parte que tem a cobertura de vidro, a gente ficava de um lado e as meninas do outro, e a gente ia meio que desenvolvendo ali uma coisa. A gente pensava que sabia paquerar.”

O primeiro beijo

Até o mais recente espaço do shopping já tem memórias compartilhadas. Em abril de 2015, foi inaugurada a sexta expansão do Iguatemi, o ponto específico em que o casal de namorados Joseph Olímpio e Jéssica Falcão deu o primeiro beijo. “Aproveitei um momento; ela estava tomando sorvete do meu lado, coloquei o braço por trás dela e aconteceu.”

Ambos cursaram Administração na Universidade Estadual do Ceará, se conheceram em uma palestra, conversaram pelo Facebook e decidiram marcar o primeiro encontro. Foi quase um beijo roubado. Jéssica foi pega totalmente de surpresa.

E não foi só essa história que o shopping ajudou a construir na vida do casal. Joseph é natural de Macapá (AP), onde seus pais ainda moram. Foi na praça de alimentação do shopping que Jéssica conheceu os sogros.

Ela mora no José Walter. Ele, no Benfica. No meio dos caminhos que se cruzaram, o Iguatemi. E cada nova visita é como relembrar a sensação daquele primeiro beijo. “Realmente não esperava que fosse acontecer ali. Até hoje a gente passa pela mesa na praça de alimentação e lembra de como tudo aconteceu.”

O pedido

Imagine a seguinte situação: você está prestes a pedir sua namorada em casamento e decide fazer de uma maneira bem diferente. Está tudo planejado para o pedido ser feito dentro da vitrine de uma loja, mas um dia antes você descobre que não vai ser mais possível. Tudo parecia ir por água abaixo, porém Anderson Rodrigues não desistiu de surpreender a namorada.

Mariana Monte teve um pedido de casamento digno de cinema. Anderson reverteu a situação e, em menos de 24 horas, com a ajuda de amigos e do marketing do Shopping Iguatemi, criou uma nova estratégia. Ele planejou uma encenação, criou uma música e se vestiu de palhaço. Foi de dentro do nariz vermelho que ele retirou as alianças e fez a grande pergunta. Surpresa e envergonhada, mas muito feliz, Mariana não hesitou em dizer “sim”.

O casamento aconteceu poucos meses depois. Filhos ainda não têm, mas uma grande história pra contar quando tiverem já está garantida. Os passeios que fazem pelo shopping são a prova: o que o Iguatemi uniu é pra sempre. Pra toda vida.

Colaboradores

Felipe Gomes

Felipe Gomes

Ver Perfil

Soube desde de cedo que iria ser jornalista. Com as histórias de uma Fortaleza de outros tempos, contadas pela bisavó, aprendeu a ouvir. Entrou na faculdade para falar de coisas. Saiu querendo falar de pessoas. Valoriza o olho no olho, admira o cinema francês e adora música.

Leilane Freitas

Leilane Freitas

Ver Perfil

Já se aventurou pelo mundo do teatro e da dança. Escrevia no jornal da escola mas ainda não sabia que escolheria isso como profissão. Acredita no jornalismo como uma maneira de mostrar o lado positivo dos pequenos detalhes da vida. Decidiu escrever porque, aparentemente, falar sozinha não parece ser coisa de gente em sã consciência.

Igor de Melo

Igor de Melo

Ver Perfil

É fotógrafo profissional desde 2008. Já passou pela fotografia de esportes, cobertura social, fotojornalismo, publicidade, documental e autoral. Continua em todas. É apaixonado por esportes de ação, tatuagens, retratos e pessoas. Crê que vai conseguir contar as histórias que quer, surfar na Indonésia e viajar com a esposa.

Comentários

Quer conhecer mais histórias como esta?


Cadastre seu email abaixo para receber matérias, novidades, eventos, e outras informações na sua caixa de email.

fechar