Vós

menu
Plural

Mobilidade urbana e inclusão social para uma cidade mais plural

Por Leilane Freitas, Igor de Melo
01.out
2018

Fabrini Andrade, Luiz Alberto e Joaquim Cartaxo estiveram no segundo dia de Plural na 20ª edição da CASACOR Ceará. Os convidados discutiram sobre as possibilidades para uma Fortaleza menos desigual, com mais oportunidades para toda a população e garantia de acessos.

Luiz Alberto Saboia deu início às discussões da noite. O secretário-executivo da Secretaria de Conservação e Serviços Públicos de Fortaleza (SCSP) falou dos avanços da cidade na área de mobilidade urbana . “A rua é a maior rede de espaços públicos que temos e devemos ocupá-la, não apenas com carros. Temos que ter um meio urbano seguro para bicicletas, pedestres e garantir espaços de lazer.”

A frente do projeto Instituto Povos do Mar, Fabrini Andrade defendeu a importância da inclusão social como meio para diminuição das desigualdades e, consequentemente, da violência. “O crescimento da população requer mobilidade, mas requer também um olhar sensível de políticas públicas concretas para esses territórios da cidade que são considerados periféricos.”

Foi quase como se as falas dos convidados se completassem. Joaquim Cartaxo, superintendente do Sebrae, fechou o ciclo de apresentações da noite falando sobre as transições culturais que Fortaleza tem vivido e como isso contribui para um futuro mais harmônico da cidade. “A pluralidade é a nossa grande ferramenta para nós equacionarmos o problema da desigualdade.”

Colaboradores

Leilane Freitas

Leilane Freitas

Ver Perfil

Já se aventurou pelo mundo do teatro e da dança. Escrevia no jornal da escola mas ainda não sabia que escolheria isso como profissão. Acredita no jornalismo como uma maneira de mostrar o lado positivo dos pequenos detalhes da vida. Decidiu escrever porque, aparentemente, falar sozinha não parece ser coisa de gente em sã consciência.

Igor de Melo

Igor de Melo

Ver Perfil

É fotógrafo profissional desde 2008. Já passou pela fotografia de esportes, cobertura social, fotojornalismo, publicidade, documental e autoral. Continua em todas. É apaixonado por esportes de ação, tatuagens, retratos e pessoas. Crê que vai conseguir contar as histórias que quer, surfar na Indonésia e viajar com a esposa.

Comentários

Quer conhecer mais histórias como esta?


Cadastre seu email abaixo para receber matérias, novidades, eventos, e outras informações na sua caixa de email.

fechar