Vós

menu
Guia

Eles são o som - de hoje

Por Leilane Freitas, Igor de Melo
11.jun
2018

Se depender dessa galera, a cena autoral da música cearense está muito bem representada. Os jovens cantores que embalam as casas de shows, palcos, teatros e festivais de música aproveitam as novas maneiras de consumir música para inovar e empreender em um mercado que continua sendo extremamente concorrido, mas que, com muito trabalho e dedicação, segue possibilitando conquistar o público e, consequentemente, espaço no mercado fonográfico.

Mesmo em um estado tradicionalmente conhecido pelo forró, existe uma turma de jovens cantores que buscam resgatar a força da MPB, do rock nacional ou trazem em suas obras próprias as influências da música internacional como pop e surf music. E eles conseguem se destacar não apenas no cenário local – um exemplo é a banda Selvagens à Procura de Lei, que atualmente faz shows em todo o país e que agora segue para duas apresentações na Copa do Mundo da Rússia.

Os atuais cantores cearenses são múltiplos, assim como as vozes que embalaram o nosso estado outrora e hoje são as maiores fontes de inspiração para essa nova leva. Tem menina/mulher de voz doce e de voz forte, outros são multi instrumentistas, são do carnaval, de Fortaleza, do Ceará, do Brasil e do mundo. Vós apresenta um pouco da trajetória de 4 jovens cantores que brilham por aqui e que carregam o orgulho de serem da terra da luz para qualquer lugar que forem.

Camila Marieta

Com apenas 20 anos de idade, Camila Marieta apresenta uma incrível maturidade vocal e composições musicais que podem conquistar até os mais duros corações. Talvez “andar sem rumo” realmente não seja capaz de tornar alguém maduro – como diz em Cuidaria – mas mesmo com pouca idade, a cantora já demonstra estar bem segura em sua carreira musical.

“Cantei na igreja até uns 7 anos de idade e depois colocaram na minha cabeça pra eu ser médica cirurgiã, mas depois dos meus 12 anos vi que não teria vocação nenhuma pra isso, sempre foi música. Meu irmão do meio, Ícaro Bruno, é músico também e sempre me incentivou; gosto de citar isso porque se não fosse por ele, não sei se teria chegado até aqui.”

Natural de Fortaleza, a cantora costuma tocar o que gosta de ouvir, como o pop americano, surf music, pop rock e neo soul. Suas músicas autorais seguem esses estilos e nos seus shows pela cidade ela sempre procura alternar e unir o útil ao agradável: apresenta suas composições e faz cover dos artistas que escuta. “Acabo fazendo releituras junto com os instrumentistas que me acompanham, porque a gente sempre dá o nosso toque pessoal em cada música. Em todo meu set coloco algumas composições autorais que passeiam pelo mesmo estilo do cover.”

Além de cantar, Camila também toca violão e já tem dois EPs lançados. O primeiro, intitulado “Imaginada”, foi lançado em abril de 2015, antes mesmo das plataformas digitais como Deezer e Spotify ficarem populares. “Tropeço No Meio Fio” é seu segundo trabalho autoral com lançamento em dezembro de 2017. Ambos estão disponíveis em diversos serviços de streaming.

“Com toda certeza a maior realização da minha carreira até aqui foi o show de lançamento do meu segundo EP, o “Tropeço No Meio Fio”, que aconteceu em dezembro na Casa de Sal, um espaço multicultural lindíssimo que fica na Beira Mar. O show foi um sucesso, a casa lotou, também lancei na festa o meu primeiro clipe oficial “Cambaleada”, produzido pelo Léo Paiva. E finalmente lancei o EP que estava trabalhando e sonhando desde 2016.”

Para ouvir Camila:

Spotify
Deezer

Redes Sociais:

Instagram: @camilamarieta
Facebook /CamilaMarieta

Lorena Nunes

Essa é pra ouvir nos dias que o coração pede calma. Mulher de presença forte que sorri por fora mesmo quando o coração chora e não tem medo de chamar a saudade para tomar café. Te convido para conhecer uma doce e sincera mistura de Brasil, com sangue do berço do Calypso, nascida na terra da garota de Ipanema e criada ao sol da capital alencarina.

Lorena Nunes tem investido intensamente em sua carreira musical desde 2010; já participou de diversas mostras, festivais e circuitos culturais​​ no Ceará, Nordeste e Brasil ​e abriu shows de importantes cantores nacionais como Daniela Mercury, Luiz Melodia, Lenine​,​ João Bosco, Criolo e Hermeto Pascoal.

Ela garante “cantar procê sambar” e não dá pra fugir disso quando se coloca Lorena para tocar. As composições da cantora carregam toda sua personalidade com referências musicais do soul, reggae, afrobeat, jazz e samba.

“Meu primeiro projeto autoral “Ouvi Dizer Que Lá Faz Sol” foi desenvolvido com apoio do Governo do Estado do Ceará, através do Laboratório de Criação em Música da Escola de Formação e Criação do Ceará Porto Iracema das Artes e o repertório do álbum é integralmente dedicado a compositores cearenses contemporâneos.”

Para ouvir Lorena:

lorenanunes.net
Spotify
Deezer

Redes Sociais
Facebook /lorenanunesoficial
Instagram: @lorenanunesoficial

Lidia Maria

Natural de Fortaleza, Lidia Maria trabalha com a diversidade da música brasileira. Em seus shows autorais e de intérprete, ela traz referências da bossa nova, samba, chorinho, frevo e forró. “A música nacional tem essa característica de pegar o jazz, o blues, o rock e dar a sua cara. Acho que a musicalidade brasileira é a característica principal do meu trabalho.”

Com canto delicado e sua alma leve, Lidia toca violão desde os 12 anos de idade e aprendeu bandolim aos 20, quando participou do grupo de chorinho “Fulô de Araçá”, composto apenas por mulheres, onde a cantora ficou até entrar para o bloco de carnaval “Dorothy l’Amour”, onde interpretava músicas de Fausto Nilo e seus parceiros.

“Eu canto desde os 10 anos de idade, comecei cantando na igreja. Mas eu posso dizer assim que eu virei cantora mesmo foi mais ou menos em 2010. Quando eu fui pra esse bloco foi que eu percebi que não queria parar de cantar, que cantar era uma coisa que eu queria mesmo. Na verdade eu já sabia disso, mas foi ali que eu percebi que eu tinha que investir nisso.”

Lidia define seu trabalho como “um resgate da música cearense na noite da cidade.” Seu trabalho autoral chamado “Alma Leve” foi lançado no fim de 2013 e conta com 7 músicas compostas pela cantora. “O show que levo atualmente para os palcos é o “Por Inteiro”, onde quero que o público veja e sinta todas as minhas influências. Os meu shows geralmente são em teatro, em festival, mostra de música e grandes palcos; eu toco músicas autorais e também faço as interpretações.”

Para ouvir Lídia:

Spotify
Deezer

Redes Sociais:
Facebook /lidiamariaoficial
Instagram: @lidiamaria.oficial

Marcos Lessa

A gente não poderia fazer essa lista sem falar dele. Talvez seja o nome de um jovem talento musical cearense mais conhecido, atualmente, dentro e fora do estado. Marcos Lessa ganhou destaque em território nacional ao participar do The Voice Brasil no ano de 2013, foi assim que o país conheceu a voz grave e o sorriso marcante do cantor.

“Participar do programa foi um divisor de águas na minha vida, foi a maior audiência até hoje dos The Voice adultos. Conquistei muitas coisas de lá para cá, fiz muitos shows importantes. Hoje tenho um programa de rádio, um de televisão, já lotei todos os teatros daqui de Fortaleza. Você ser apoiado pela sua cidade natal dá uma estrutura profissional para quando a gente vai fazer algum show em outro estado.”

Marcos Lessa tem uma ligação muito forte com a música, praticamente desde antes de nascer. “Existe uma tradição de arte muito forte na minha família, por parte da minha mãe.” Já seu pai foi professor de música e cantava em grupos instrumentais em Fortaleza dos anos 70 até o início dos anos 90.

“Por isso sempre tive esse sonho muito forte em mim de trabalhar com música. Especificamente na voz por uma paixão que eu tenho até hoje pela Elis Regina que é a grande referência no meu trabalho como artista. Ela é minha inspiração até hoje, em pleno século XXI.”

Toda a obra do cantor é baseada num resgate da Música Popular Brasileira. Suas letras são ricas em detalhes da nossa cultura e os seus arranjos são doces, dançantes e animados.

Para ouvir Marcos:

Spotify
Deezer

Redes Sociais
Instagram: @marcoslessa
Facebook /MarcosLessaOficial

Colaboradores

Leilane Freitas

Leilane Freitas

Ver Perfil

Já se aventurou pelo mundo do teatro e da dança. Escrevia no jornal da escola mas ainda não sabia que escolheria isso como profissão. Acredita no jornalismo como uma maneira de mostrar o lado positivo dos pequenos detalhes da vida. Decidiu escrever porque, aparentemente, falar sozinha não parece ser coisa de gente em sã consciência.

Igor de Melo

Igor de Melo

Ver Perfil

É fotógrafo profissional desde 2008. Já passou pela fotografia de esportes, cobertura social, fotojornalismo, publicidade, documental e autoral. Continua em todas. É apaixonado por esportes de ação, tatuagens, retratos e pessoas. Crê que vai conseguir contar as histórias que quer, surfar na Indonésia e viajar com a esposa.

Comentários

Quer conhecer mais histórias como esta?


Cadastre seu email abaixo para receber matérias, novidades, eventos, e outras informações na sua caixa de email.

fechar