Vós

menu
Plural

Plural: colocar-se no lugar do outro para entender a inclusão

Por Marcela Benevides, Pedro Otávio de Farias

Acredita em Vós

24.jul
2018

A Praia de Iracema foi palco de discussões sobre criatividade e inovação nos diversos eixos que compõem a vida em sociedade nos dias 21 e 22 de julho. O Plural, evento de Vós e Sistema Jangadeiro, promoveu palestras e discussões sobre empreendedorismo, cultura, cidade, futuro e sustentabilidade. A ocupação do espaço proporcionou a troca de experiência entre palestrantes e o público.

Além das palestras e oficinas, o eixo Sustentabilidade recebeu a VAGA VIVA SENSORIAL – um projeto do ESTAR URBANO, em parceria com a Vós, inspirado no coletivo Teadaptar, com o patrocínio da marca ADES – que ocupou o centro Cultural Belchior. O Espaço Vaga Viva Sensorial – Estar Urbano, foi  uma experiência que convidava a contemplação de quatro sentidos : a audição, com a parede musical; o olfato, com as plantas aromáticas; o tato, com o piso tátil e o Simulador de Realidade Virtual.  No espaço, também foram oferecidos degustação de sucos e novos produtos da marca Ades e foto lembranças tiradas no espaço.

A responsável pela marca ADES no Ceará, Fernanda Raizama, acredita que o Plural e o Espaço Sensorial Vaga Viva se completam. “Esse movimento fala de inclusão e democratização ao acesso de bebidas vegetais naturais para mais pessoas. Dar acesso às pessoas a um portfólio de bebidas mais saudável, e participar de projetos que também falam sobre inclusão, sobre importância sensorial e transformação seja das pessoas, dos negócios ou das sementes, para a gente tem uma sinergia incrível.”

Realidade Virtual

Ao colocar os óculos de Realidade Virtual, o vídeo começa. Uma mãe tenta sacar dinheiro do caixa eletrônico enquanto seu filho espera. Há algum problema e ela não consegue realizar a atividade no tempo esperando, e enquanto isso o ambiente começa a encher de pessoas entrando e saindo. Há muitas vozes ao redor, altas e muito altas. Nesse momento eu sou a criança com autismo, os barulhos são ensurdecedores e não consigo focar em brincar com o urso na minha mão. Tudo fica extremamente barulhento e fora de controle, minha respiração acelera, vejo que a minha mãe está pedindo para eu me acalmar, mas não consigo respirar direito até que eu apago. Abro os olhos e já estou do lado de fora do banco, minha mãe está conversando comigo e estou mais tranquilo.
Essas foram as sensações que uma criança com autismo sentia ao ter uma sobrecarga sensorial. A  experiência foi estimulada por meio de óculos de Realidade Virtual que compõe o projeto Vaga Viva Sensorial – ESTAR URBANO.

A Vaga Viva também é palco para ações educativas, como o projeto TEAdaptar, que busca promover a inclusão e socialização das pessoas com Transtorno Espectro Austista (TEA) e Deficiência Intelectual, por meio de ações e adequações de espaços que garantem acessibilidade e bem estar.

A arquiteta Valéria Nogueira, responsável pela simulação e pelo projeto TEAdaptar,  explica que as crianças com autismo não conseguem captar e filtrar os sentidos como uma pessoa comum, e por isso os espaços sensoriais são importantes para acalmar essas crianças e evitar que elas tenham uma crise. Para ela, esse tipo de experiência estimula a inclusão.

“Conhecer o lado do autismo e ter essa experiência ajuda a entender o que o autista sente em situação de sobrecarga sensorial. Quando conhecemos algo, é mais fácil ter empatia e colocar-se no lugar do outro, e é daí que conseguimos a inclusão, retira o medo e o preconceito. E eu como mãe de duas filhas autistas me sinto mais segura, porque quando minhas filhas tiverem uma crise, eu sei que as pessoas não vão julgar ou olhar com cara feia.”

A estudante de jornalismo Deisa Rocha participou da experiência e achou angustiante. “É bem confuso, tem muito barulho e é um pouco angustiante. Mas é interessante porque eu não conhecia e não tinha ideia de como era uma situação como essa.”

Colaboradores

Marcela Benevides

Marcela Benevides

Ver Perfil

Ler e escrever são as duas coisas que mais a definem. Gosta de contar histórias sobre pessoas e lugares que inspiram a felicidade e a percepção de que a vida vai além das bolhas em que vivemos, e é na cidade que encontra a sua inspiração. Acredita que o jornalismo é um dos meios para promover a união entre culturas. Importante destacar: tem o sol em leão.

Pedro Otávio de Farias

Pedro Otávio de Farias

Ver Perfil

É fotógrafo, músico, professor de artes e pesquisador cultural. Músico profissional desde 2004, licenciado em música pela UECE, se aventura pela fotografia desde 2013, sempre entrelaçando o ofício de fotógrafo com o fazer e ensino artístico, difundindo música, arte e cultura em geral também através de imagens.

Comentários

Quer conhecer mais histórias como esta?


Cadastre seu email abaixo para receber matérias, novidades, eventos, e outras informações na sua caixa de email.

fechar